Propostas da agricultura aos presidenciáveis

Publicado em 11 de setembro de 2018

Comentário(s)

Representantes do movimento cooperativista participaram na quarta-feira, 29 de agosto, do debate entre os candidatos à Presidência da República e os representantes do agronegócio brasileiro, promovido em Brasília, pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Além de discorrerem sobre suas propostas para o setor caso vençam as eleições, os candidatos receberam o documento O futuro é Agro 2018-2030, elaborado pela CNA, com o apoio do Conselho das Entidades do Setor Agropecuário (Conselho do Agro).

Esse conselho reúne 15 entidades que representam os produtores rurais de diversas cadeias produtivas e segmentos da agropecuária. A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), por exemplo, representa e defende os interesses do cooperativismo no colegiado.

Por parte das cooperativas agropecuárias estiveram: o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, a gerente geral da OCB, Tânia Zanella, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, o presidente do Sistema Ocesp, Edvaldo Del Grande, o representante da região Norte na diretoria da OCB, Petrucio Magalhães, e o coordenador do Centro de Agronegócio da FGV/EESP e embaixador especial da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) para o cooperativismo mundial, Roberto Rodrigues.

COOPERATIVISMO

A OCB também está concluindo a edição de um documento a ser entregue aos presidenciáveis. A expectativa é de que, até a semana que vem, a entrega das propostas do movimento cooperativista aos candidatos ao Palácio do Planalto seja iniciada.

DINÂMICA

A participação dos candidatos no debate promovido nesta quarta-feira pela CNA foi definida por sorteio. O primeiro presidenciável a falar de suas propostas de governo para pecuaristas e produtores rurais na CNA foi Geraldo Alckmin. Depois foi a vez de Henrique Meirelles. Na sequência, Álvaro Dias e Marina Silva falaram das medidas que pretendem aplicar para atender às demandas do setor. Ciro Gomes e Jair Bolsonaro não participaram.

PROPOSTAS

Propostas da Confederação Nacional da Agricultura e da OCB aos presidenciáveis

A Confederação Nacional da Agricultura e a Organização das Cooperativas do Brasil – OCB, emitiram aos presidenciáveis, documento apresentando 10 prioridades para o setor agropecuário brasileiro. Confira:

1. Prosseguir com as reformas necessárias, em especial a tributária e a previdenciária. A modernização do sistema tributário dará maior competitividade ao setor agropecuário.

2. Priorizar o seguro rural e demais instrumentos de gestão de riscos, como forma de garantir renda ao produtor e atrair novas fontes de financiamento para o setor.

3. Firmar acordos comerciais para promover a competitividade da agropecuária brasileira com prioridade nos principais mercados importadores de alimentos, como Coreia do Sul, México, União Europeia, Japão, bem como estabelecer parcerias estratégicas que favoreçam o fluxo comercial com China, Estados Unidos e Aliança do Pacífico.

4. Apoiar políticas públicas voltadas para o crescimento sustentável do setor, em especial aquelas que regulam o uso dos recursos naturais baseado em agricultura inteligente, competitiva e provedora de serviços ambientais.

5. Garantir segurança jurídica no campo por meio da melhoria do arcabouço legal das questões fundiárias, das normas trabalhistas que possuem subjetividade e das iniciativas que reduzam a criminalidade no campo.

6. Fomentar o desenvolvimento tecnológico no âmbito da comunicação, geociência e biotecnologia, ampliando as oportunidades de acesso às tecnologias para o homem do campo.

7. Criar ambiente regulatório mais transparente com objetivo de impedir práticas monopolistas e promover a livre iniciativa, evitando qualquer tipo de tabelamento, como forma de atrair investimentos privados destinados à integração dos modais de transportes e à melhoria da armazenagem.

8. Fortalecer o Sistema de Defesa Agropecuária para que seja mais ágil e eficiente, por meio de métricas objetivas, estabelecidas conjuntamente pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e setor privado.

9. Ampliar o volume de recursos destinados às ações de assistência técnica, de forma harmônica entre os diferentes perfis de produtores, com intuito de melhorar a difusão de tecnologias e a gestão das propriedades rurais.

10. Desenvolver políticas públicas focadas na ampliação da produção de biocombustíveis, como o RenovaBio, com o objetivo de reduzir as emissões dos gases do efeito estufa.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sistema OCB




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC