SC amplia exportações de carne suína para China, Chile e Argentina

Publicado em 09 de maio de 2018

Comentário(s)

O incremento nas vendas para outros países têm minimizado os efeitos do embargo russo para as carnes brasileiras

Há seis meses sem vender carne suína para a Rússia, as agroindústrias de Santa Catarina começam a focar em outros mercados e ampliam as exportações para China, Chile e Argentina. Em abril, os três países foram os principais destinos da carne suína produzida no estado – respondendo por 70,3% do faturamento com as exportações do produto. O incremento nas vendas para outros países têm minimizado os efeitos do embargo russo para as carnes brasileiras. As informações são da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina.

No último mês, somente Santa Catarina respondeu por 52,8% do faturamento brasileiro com as exportações de carne suína. O estado embarcou 20,4 mil toneladas do produto, gerando US$ 49,1 milhões em receita. A quantidade vendida foi 20,2% menor do que em março e o faturamento teve uma pequena queda de 3,7% - explicada pelas compras de produtos com maior valor agregado.

Segundo o secretário da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, a tendência é de reacomodação de mercados, o que contribui para restabelecer os volumes exportados pelo Brasil e Santa Catarina. “Como o Brasil exporta carnes para mais de 150 países, enquanto algumas portas se fecham outras se abrem. Temos carnes de alta qualidade, com custos competitivos e empresas com sólido relacionamento e tradição no mercado internacional, as expectativas são de continuidade no crescimento das exportações a médio e longo prazo”, ressalta.

No acumulado do ano, o estado vendeu 91 mil toneladas de carne suína com receitas de US$ 193,2 milhões. Santa Catarina responde por 46,7% do total exportado pelo país em 2018.

Principais mercados

O principal destino para carne suína catarinense é a China, que ampliou o valor das importações em 232,6% em abril – em relação ao mesmo período de 2017. O país adquiriu 8,5 mil toneladas do produto por US$ 22,4 milhões. Aliás, a China vem se consolidando como o maior comprador de carne suína de Santa Catarina, só este ano foram 81,6 mil toneladas vendidas para o país asiático.

O Chile e a Argentina também aumentaram as importações da carne suína catarinense. Em abril, as vendas para os dois países geraram faturamento de, respectivamente, US$ 6,5 milhões (aumento de 81,5%) e de US$ 5,6 milhões (aumento de 153,1%).

Fonte: Suinocultura Industrial




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC