Negócios de soja e derivados são prejudicados por greve dos caminhoneiros

Publicado em 28 de maio de 2018

Comentário(s)

Os negócios envolvendo soja e derivados no mercado interno foram comprometidos pela greve de caminhoneiros. Indústrias relatam ter baixo estoque de soja e, com isso, algumas reduziram o ritmo de processamento, enquanto outras já estão paradas.

Sojicultores, por sua vez, como de costume para este período, já negociaram boa parte de sua produção e, agora, estão interessados em guardar o remanescente da safra para escoar no segundo semestre. Esse contexto pode elevar os preços da soja com mais força no curto e médio prazos.

Para os derivados, em muitas regiões brasileiras, agentes consultados pelo Cepea relatam diminuição e/ou suspensão de abates de aves e suínos, refletindo em aumento no uso de farelo de soja nas granjas – o derivado é um dos principais alimentos desses animais. Entre 18 e 25 de maio, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa da soja Paranaguá (PR) subiu 0,75%, a R$ 86,47/saca de 60 kg na sexta-feira, 25. No mesmo comparativo, o Indicador CEPEA/ESALQ Paraná ficou estável (-0,1%), a R$ 80,13/sc de 60 kg no dia 25. 

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br  




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC