Agronegócio: precisamos debater comunicação como se debate mercado

Publicado em 18 de maio de 2018

Comentário(s)

Nós que vivemos estas andanças acompanhando o agronegócio, sempre ouvimos um questionamento em relação à imagem do setor perante à sociedade

Nós que vivemos estas andanças acompanhando o agronegócio, sempre ouvimos um questionamento em relação à imagem do setor perante à sociedade. Muitas vezes são veiculadas informações sobre exceções que acabam sendo vendidas como regra. O produtor que desmata, que polui, que envenena o alimento para obter ganhos, o criador que explora e maltrata os animais. Há muita reclamação de como o campo é tratado pela cidade. As "Fake News", tema da vez na comunicação, já fazem parte da vida da agropecuária há muito tempo.

Um dos principais entraves que vejo, neste período trabalhando e estudando a comunicação do agronegócio, é o foco das organizações que compõem o setor, tanto empresas quanto entidades, em falar com o "dentro da porteira". É extremamente fundamental fazer este contato com o seu cliente, associado, acionista, entre outros públicos, mas não podemos esquecer que é vital manter o diálogo com o "fora da porteira". Digo isso porque a sociedade, com o advento das mídias sociais e seu constante debate sobre a validade das informações circuladas e discursos de ódio que vemos todos os dias quando abrimos nossas mídias, tende a cada vez mais a apertar esse olhar negativista contra o setor.

Mais do que nunca é preciso que o setor rural se atente à comunicação como uma ferramenta estratégica de mudança deste cenário, transforme sua linguagem e busque o diálogo sintonizado especialmente com estas novas gerações formadoras de opinião dentro dos círculos virtuais. É importante direcionar parte da sua comunicação para que possa conversar com este público também que, influenciando com suas opiniões que são dadas, muitas vezes por desconhecimento ou devido à intervenção de movimentos ou grupos contrários ao agronegócio, disseminam uma informação desconcertada e podem afetar inclusive o pensamento de quem determina os rumos da nossa sociedade.

Hoje creio que o papel da comunicação deve ser encarado por dirigentes e representantes das organizações no mesmo tamanho em que se encara mercado, técnicas e inovações. As mesmas devem prestar atenção no tema e levar a comunicação para o mesmo nível de debate quando se fala de preços, custos, manejo e tecnologias. Vemos diversos eventos falando sobre os mesmos temas com as mesmas pessoas dando as mesmas receitas e pergunto: porque não incluir a comunicação na sua pauta? Valorizar um debate sobre este tema como se valoriza um debate sobre o mercado, sobre as dicas técnicas, entre outros que existem dezenas de palestras que dão o mesmo tom.

Por outro lado, a mídia também precisa ser sensível aos contrapontos feitos pelo setor quando o mesmo é atacado. A própria mídia especializada, que debate o assunto em fóruns fechados, pode começar a discutir a relevância e o papel da comunicação como uma ferramenta estratégica para combater a forma que o agronegócio é visto e tentar desmistificar alguns assuntos polêmicos. Em suma, o que proponho aqui é que possamos discutir mais sobre a comunicação elevando ao mesmo nível dos temas que são exaustivamente trabalhados pelas organizações.

O desafio está lançado.


De Nestor Tipa Júnior - Jornalista e especialista em Marketing em Agribusiness. Quase 20 anos de carreira nos principais veículos de comunicação do país, hoje é sócio diretor da AgroEffective Comunicação e Agronegócio e responsável pelo canal Falando de Agro.


Fonte: AgroEffective Comunicação e Agronegócio
 




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC