Semear na época certa reduz perdas de produtividade do trigo

Publicado em 02 de abril de 2018

Comentário(s)

Os produtores de trigo devem estar atentos à época ideal de semeadura para minimizar os riscos de perda de produtividade.

O alerta é do pesquisador Sergio Ricardo Silva, da Embrapa Trigo. Segundo ele, para reduzir os riscos de geada no florescimento, evitar períodos de seca após a semeadura e durante os estádios iniciais de enchimento de grãos e para fugir das prejudiciais chuvas durante a colheita, os produtores contam com a recomendação de época de semeadura definida pelo Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC), disponibilizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Segundo o pesquisador, a ocorrência simultânea de duas condições ambientais favorece a infecção dos fungos nas espigas: altas temperaturas (20 a 25 ºC para giberela e 24 a 28 ºC para brusone) e longo período de chuvas consecutivas (48 a 72 horas para giberela e 15 a 40 horas para brusone). “Portanto, a planta deve escapar de um dos dois fatores de risco, principalmente nas três semanas a partir do início do espigamento. É neste período que a infecção do fungo nas espigas resulta em maiores perdas de produtividade”, destaca.

Conhecendo o histórico climático que define a época do ano com temperatura média abaixo de 15 ºC, o produtor consegue planejar o momento ideal da semeadura, para que o espigamento da cultivar de trigo ocorra nesta época. “Se a temperatura estiver abaixo de 15 °C após o espigamento, a doença não se instala na planta, pois os esporos do fungo não conseguem germinar e infectar o tecido vegetal”, orienta.

“Outro cuidado está relacionado à escolha de cultivares com diferentes ciclos, isto é, número de dias entre a germinação e o espigamento. Neste caso, a época da semeadura precisa ser ajustada individualmente para cada cultivar”, diz. Longo período de chuvas consecutivas após o espigamento também favorece as doenças de espiga do trigo. “Por isso, o produtor deve privilegiar períodos de semeadura que possibilitarão a ocorrência do espigamento em época com chuvas mais espaçadas”, alerta.

Para aqueles agricultores que não dispõem de histórico climático em suas propriedades, Silva sugere medidas práticas de manejo da época de semeadura para aumentar a probabilidade de escape das doenças de espiga. A orientação é semear uma cultivar de trigo em diferentes épocas (espaçadas aproximadamente de 14-21 dias entre si) e/ou semear várias cultivares com ciclos diferentes na mesma época. “Deste modo, uma proporção significativa da área plantada escapará das doenças”, explica.

Fonte: Embrapa




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC