No fim de mais uma super safra

Publicado em 03 de abril de 2018

Comentário(s)

De 20 de janeiro até meados de maio, incluindo safra e safrinha, os produtores de soja deverão colher uma das maiores safras dos últimos tempos, variando de acordo com as épocas de plantio. No mês de março, a estimativa de recebimento da Cooperalfa era se aproximar dos 10 milhões de sacas de soja, com produtividade média de 68 sacas por hectare e 35% de aumento da área plantada, índices estimados pelo projeto SOMAR e planejamento estratégico da cooperativa. “Em alguns casos, excepcionalmente, ultrapassando as 90 sacas por hectare”, acrescentou o engenheiro agrônomo Ferdinando Brustolim, da agropecuária matriz.

Em 2017, a Alfa recebeu 8,4 milhões de sacas de soja com crescimento de 10,94% sobre 2016. O clima favorável se registrou em todos os países produtores da oleaginosa, aumentando assim os estoques mundiais e reduzindo os preços dessa commoditie. Isso motivou os produtores a ampliarem os estoques armazenados, caindo o volume comercializado de soja, aguardando melhores preços. De acordo com o relatório de gestão 2017, e o andamento da safra até meados de março, a safra 2018 de soja deverá fechar com números superiores que a anterior. “Podemos chegar aos 10 milhões de sacas”, projetou o gerente comercial Lourenço Lovatel.

Associados comemoram

O gerente da agropecuária matriz da Cooperalfa, Moacir Mistura, está comemorando com o associado, a super safra de soja. Segundo ele, este ano tudo esteve ao lado do produtor de soja, clima e preço, especialmente aquele que plantou na época certa (meados de outubro) colheu as melhores produtividades. Segundo Mistura, além do clima e mercado favoráveis, o produtor também tem a seu favor a diversidade de materiais, possibilitando-lhe o escalonamento de semeadura e épocas diferentes de colheita. “Tem cultivares de ciclo mais curto e outras mais longo, permitindo ao investidor aproveitar melhor a terra durante o ano, sempre lembrando que é necessário respeitar o vazio sanitário na hora de plantar”, salientou o gerente.

O engenheiro agrônomo Ferdinando Brustolim lembrou do Decreto estadual, regulamentado recentemente e que estabelece o vazio sanitário para a cultura da soja. O período para a semeadura no Estado deverá ocorrer entre 15 de setembro e 10 de fevereiro. “Fora disso o agricultor poderá ser notificado de acordo com a Lei”, alertou. Dia 23 de fevereiro, o associado da Cooperalfa, Daniel André Pasqualotto Baldissera, de Chapecó- SC, colheu a sua primeira safra de soja do ano e obteve, em média, 80 sacas por hectare. No total, cultivou 300 hectares de soja, incluindo safra e safrinha. Em sua propriedade, fez três semeaduras: a primeira área de 42 hectares semeou dia 10 de outubro e colheu dia 23 de fevereiro. A segunda área de 160 hectares (semeada no início de novembro/16) colheu no fim de março e os 100 hectares de safrinha semeados até o fim de janeiro/18 (respeitando o vazio sanitário) colherá até maio próximo. “A diversidade de cultivares nos permite colher muito mais e várias vezes ao ano e isso é muito bom”, disse Baldissera.

Leia mais na edição de abril do Jornal O Cooperalfa clicando aqui.




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC