Menor produção de milho preocupa agroindústrias de aves e suínos

Publicado em 21 de marÇo de 2018

Comentário(s)

Na primeira quinzena de março, as cotações do cereal disponível em Mato Grosso já apresentam uma valorização de 11,3%.

Dentre os principais estados produtores de milho na primeira safra 2017/2018 no Brasil, há perspectiva de redução de produção de milho, principalmente na região Sul, informou o Insituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).  

A Conab estima uma queda de 39% no Paraná, de 26,8% em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul é esperada uma produção de milho 21,5% menor em relação ao que foi visto no ano passado. Com isso, espera-se uma redução de quatro milhões de toneladas na oferta de primeira safra.  

Menor produção de milho De acordo com o Imea, a perspectiva de menor produção de milho, que ainda está em andamento, têm trazido apreensão por parte da demanda, principalmente de produtores de aves e suínos, o que refletiu em um forte aumento dos preços no mercado interno nas últimas semanas.  

No entanto, as preocupações vêm se estendendo também para o cultivo da segunda safra na região do Paraná, dado que os atrasos na colheita de soja vêm prejudicando os avanços da semeadura do milho e, ainda, o aumento das chances de geadas e chuvas irregulares pode impactar no desenvolvimento das lavouras.  

Mercado de milho

Na primeira quinzena de março as cotações do milho disponível em Mato Grosso já apresentam uma valorização de 11,3% em relação ao que foi visto no mês passado, chegando a alcançar uma média de R$ 21,16 por saca. Tal valorização tem como principal influência a bolsa da B3 (mai/2018), que foi ampliada em 12,6% no mesmo período.  

Segundo o Imea, a demanda aquecida pelo milho nos mercados interno e externo, em conjunto com a pouca disponibilidade nas regiões ofertantes, traz preocupações neste momento para criadores e agroindústrias de aves e suínos no país.  

Leilões de milho

No entanto, nesta semana o Ministério da Agricultura divulgou a decisão de realizar leilões públicos a fim de amenizar a pressão sobre os custos no mercado doméstico. Assim, este é um momento de oportunidades para negociar o milho remanescente e fechar contratos futuros a bons preços no curto prazo, visto que os leilões públicos e a entrada da oferta de primeira safra no país podem amenizar os preços.

Fonte: SF Agro




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC