Brasil é o primeiro país a adotar modelo de compartimentação na produção

Publicado em 15 de marÇo de 2018

Comentário(s)

O Brasil é o único grande produtor no mundo a nunca registrar Influenza Aviária em seu território.  É, também, o primeiro a adotar o modelo compartimentado de produção, que permite respostas mais efetivas em situações sanitárias. Para o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, São vantagens competitivas determinantes no mercado internacional e que devem fazer o país avançar ainda mais como líder mundial das exportações avícolas. Os projetos de compartimentação da avicultura foram iniciados em 2008, com o apoio da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

“Neste momento de incontáveis desafios para o setor, é fundamental lembrar ao mundo que não somos líderes por acaso”, disse o presidente da associação na manhã desta quarta-feira (14/03) durante a entrega do certificado de compartimentação às unidades produtoras de carne de frango da Seara Alimentos, de Itapiranga (SC), e de genética do setor de ovos da Hy-Line do Brasil, de Nova Granada (SP).

O certificado foi entrega pelo Secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Eumar Novacki, em São Paulo (SP). Na ocasião, o representante do Mapa enfatizou a importância do trabalho em prol da preservação do status sanitário do setor produtivo “Estamos empenhados para apoiar o setor na ampliação dos programas de compartimentação, que colocam o País na vanguarda da biosseguridade internacional.  Há um intenso trabalho desenvolvido pelo Ministério para que a estrutura produtiva da avicultura brasileira seja fortalecida”, afirmou.

Para a indústria avícola brasileira, a compartimentação é um passo importante para reforçar a imagem do setor junto ao mercado internacional. As unidades da Seara Alimentos e da Hy-Line do Brasil são as primeiras produtoras de carne de frango e de genética de postura a receberem a certificação.

Com a certificação, que tem como base a Instrução Normativa 18 e a IN 21 do MAPA, a planta ganha um status sanitário diferenciado, reduzindo o risco de sanções comerciais impostas ao Brasil por mercados externos no caso de eventos sanitários relevantes.

Como único grande produtor mundial a nunca registrar Influenza Aviária, o Brasil ganha com a compartimentação uma grande vantagem competitiva no mercado internacional, ofertando melhores garantias aos clientes internacionais, além de tornar mais efetiva a redução de danos em ocasionais eventos sanitários.

Atualmente, apenas granjas de produtoras da Cobb-Vantress (genética avícola de corte) estão certificadas.  Unidades produtoras de frangos de corte da BRF (Lucas do Rio Verde-GO) e da São Salvador Alimentos (SSA), além de produtoras de genética da Aviagen e da Hendrix-Genetics estão em fase final de compartimentação.

Fonte: Avicultura Industrial




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC