Estiagem prejudica produção de grãos em Santa Catarina

Publicado em 25 de setembro de 2017

Comentário(s)

Desde o dia 23 de agosto não chove regularmente no estado de Santa Catarina. De acordo com o monitoramento dos níveis dos rios no estado, existem 22 estações hidrológicas na qual o regime hídrico se apresenta abaixo da normalidade. Dados coletados pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) mostram que a estiagem está prejudicando a produção de soja, milho, trigo e leite no estado.  

O Estado de Santa Catarina é frequentemente atingido por fenômenos climáticos que causam prejuízos à agropecuária, especialmente excesso de chuvas e estiagens. As estiagens mostram seus efeitos negativos à medida que estendem sua duração e conforme coincidem com períodos de implantação das culturas ou com períodos em que o desenvolvimento vegetativo e reprodutivo das plantas são mais sensíveis à baixa disponibilidade hídrica.  

Plantio da soja

De acordo com dados coletados pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), na região Norte Catarinense a cultura da soja será semeada em outubro e seguirá o calendário do zoneamento agrícola. Já no Meio Oeste Catarinense, o plantio da leguminosa é recomendado a partir de 10 de outubro.  

Perspectiva de chuva

No início da primavera, que começou dia 22 de setembro, aumentam as chances de chuva para Santa Catarina. Até o fim do mês de setembro há previsão de chuva no estado, um no próximo fim de semana (23 e 24/09) com chuva mal distribuída e totais de 10 a 20 mm, e o outro nos dias 26 e 27/09 com previsão de chuva mais ampla nas regiões catarinenses.  

Milho

O cultivo do milho na região concentra-se na segunda quinzena de setembro. Caso as chuvas não se normalizem, o atraso no plantio do milho causará problemas para os agricultores que apostaram na sucessão milho/soja. No Norte catarinense, o impacto sobre a cultura do milho é pequeno, pois pouca área foi semeada, mas para o agricultor que pensa na sucessão de milho por soja, a falta de umidade no solo atrasa o plantio subsequente.  

Lavouras de trigo

A estiagem prejudicou as lavouras de trigo da Região Oeste do estado. O início da fase reprodutiva com o alongamento do colmo, espigamento e florescimento, são aspectos que dão sinais de que poderá ocorrer redução na produção e produtividade das lavouras. Dados coletados pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) mostram que a estiagem está prejudicando a produção de trigo em todo o estado. 

 Com a estiagem que atingiu todo estado na segunda quinzena de junho, os produtores tiveram que interromper ou até adiar a semeadura até a volta das chuvas, o que provocou certo atraso nesta etapa de implantação dos cultivos. Na região de Canoinhas, 60 a 70% da cultura encontra-se em floração. Se o enchimento de grão ocorrer ainda sob restrição hídrica, haverá quebra significativa de produção. Como a maioria das áreas estão em fase de florescimento, os produtores podem ter alguma perda significativa na produção do grão.  

Com a safra comprometida desde a sua implantação. Seguramente haverá uma redução na produção entre 30% e 60% do volume estimado inicialmente. Isso se deve sobretudo à estiagem de momento. As lavouras foram estabelecidas no final de junho, depois de um período de muita chuva, e logo após enfrentaram uma estiagem. Novamente as lavouras passaram por períodos de chuvas, e agora por esta nova estiagem de mais de 30 dias. Muitos produtores sequer conseguiram fazer os tratos culturais necessários, como adubação nitrogenada.  

Leite

No mês de agosto houve aumento na captação de leite pelas indústrias, comparativamente a julho. Com a estiagem atual o incremento previsto para setembro está sendo comprometido. A disponibilidade das pastagens perenes e temporárias está prejudicada, o que eleva os custos de produção, pela maior utilização de ração e silagem na alimentação dos animais. A significativa queda dos preços aos produtores tende a repercutir negativamente na produção dos próximos meses, o que pode ser agravado com a eventual manutenção do quadro de estiagem.  

Epagri




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC