Chapecó 100 anos: capital da agroindústria

Publicado em 09 de agosto de 2017

Comentário(s)

Por Mário Lanznaster

O município de Chapecó chega ao seu centenário ostentando vários títulos, mas, talvez, Capital da Agroindústria Brasileira seja o mais apropriado. Fatores históricos e conjunturais concorrem para isso. Foi na região do grande Oeste catarinense, polarizada em Chapecó, que surgiu o moderno sistema de produção integrada entre criadores de aves e suínos e as indústrias de processamento de carne. Outro indicador é o fato de deter o maior e mais avançado parque agroindustrial do segmento de carnes do País.

Nessa área, várias características celebrizaram Chapecó no Brasil e no Mundo. Chapecó detém algumas das maiores agroindústrias do País e tornou-se o maior centro mundial em produção de proteína animal. Transformou-se em  paradigma de importantes centros de pesquisa científica nas áreas ligadas ao complexo agrícola e bromatológico.

Essa condição de polo é mantida pelo vanguardismo de nossa cadeia produtiva. A prioridade que as indústrias conferem para a qualidade ensejou uma série de parcerias com centros de ensino e pesquisa, Universidades, sistema “S” e organismos governamentais, de forma que nos tornamos geradores de tendências no mercado brasileiro.

Se considerarmos a região do “Velho Chapecó” e não apenas a base territorial do atual município, estaremos falando do Oeste catarinense. Nessa região se concentra a maior produção de produtos industrializados de suínos e de aves do planeta. Nossos produtos são conhecidos em todo o mundo. O Oriente Médio, por exemplo, compra frango do Oeste catarinense há mais de 40 anos. Somos referência em produção, produtividade, sanidade e qualidade. Aqui, produtor rural, indústrias e governo mantêm uma extraordinária relação de cooperação que dá suporte e garante o desenvolvimento econômico do País.

Chapecó, testemunho dinâmico da capacidade empreendedora de sua gente. Quando criado, em 1917, o município constituía-se de um vasto território de 14.000 quilômetros quadrados e seus limites coincidiam com a divisa internacional Brasil/Argentina e com as divisas interestaduais Santa Catarina/Paraná e Santa Catarina/Rio Grande do Sul.

Na condição de centro regional, Chapecó é emoldurado por uma vasta região de estrutura agrária minifundista, fundada na intensa utilização de mão de obra familiar, característica marcante no processo de desbravamento do oeste. Só a perseverança e a tenacidade do colonizador permitiram transformar essa natureza hostil em paradigma internacional de trabalho, seja na produção de carnes, de cereais, de frutas e hortigranjeiros.

A maior riqueza de Chapecó, porém, é seu povo. Uma gente alegre, amante da paz e do trabalho, otimista com o presente, confiante no futuro,  temperada nos mais caros valores humanos. Estimulamos as futuras gerações para enfrentar os próximos 100 anos com seriedade, ética e honestidade nas relações comerciais; respeito às leis e códigos de conduta, visão de futuro e comprometimento com as questões de interesse da coletividade. Nosso desiderato é continuar crescendo com aporte cada vez maior de tecnologia para tornar todas as atividades humanas (e suas cadeias produtivas) cada vez mais sustentáveis e eficientes.

Mário Lanznaster - Presidente da Cooperativa Central AURORA ALIMENTOS e vice-presidente para o agronegócio da FIESC

 

 




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC